Anti-Oxidantes

São a 1ª linha de defesa do organismo e a grande maioria está presente nos alimentos, desde que tenham sido cultivados em locais que proporcionem equilíbrio mineral e estejam livres de poluentesquímicos.Assim, são fornecidos os nutrientes necessários para o desenvolvimentocompleto celular e o desempenho adequado das funções celulares.

Hipócrates, o pai da medicina, dizia que a comida era seu remédio. Dois mil anos depois, a medicina lhe deu razão: a comida pode ser um medicamento forte. Grupos respeitáveis como o U.S. National Câncer Institute e a New York Academy of Science concordam que a nutrição tem papel vital na prevenção, tratamento e cura de muitas doenças. Recentes artigos atestam que vitaminas, minerais e outras substâncias encontradas nos alimentos protegem contra alguns males, inclusive câncer, diabete, hipertensão, doenças do coração e osteoporose.

Dizem, até, que algumas retardam o progresso de certas doenças e previnem deficiências nutricionais.fibras e baixas calorias.

Assim, uma dieta baseada em vegetais resultava em uma proteção maior contra doenças, pois eles são ricos em vitamina A e C e em minerais como potássio, selênio, zinco, magnésio e manganês. Quem se alimenta com eles tem pouca chance de adoecer.

    • Radicais Livres

Radicais livres são moléculas com existência independente, que são produzidas em decorrência do nosso processo de respiração. Do total do oxigênio que respiramos diariamente 2 a 5% se converte em radicais livres desde o nosso nascimento, mas vários fatores como estresse, fumo e alimentação incorreta ocasionam um aumento dos radicais livres que por sua vez propiciam o aparecimento de doenças crônicas como arterosclerose, hipertensão, diabete e outras que podem ser controladas por alimentos com funções antioxidantes.

Algumas vias de exposição do homem aos radicais livres:

    • O que usar e o que evitar?!

Panelas e seus materiais:

Vasilhas e afins

Minerais tóxicos versus nutrientes com ação inibidora:

· Respiratória: vapores de cigarro, poluição de veículo, produção de inotol, fritura sem exaustão, produtos industriais tóxicos.

· Ingestão de lipídios insaturados, principalmente das frituras.

· Ingestão de alimentos industrializados.

· Utensílios utilizados para o preparo dos alimentos.

· De alumínio: devem ser evitadas, pois desprendem elementos metálicos tóxicos.

· De vidro: são as melhores, pois não passam resíduos tóxicos aos alimentos.

· De aço inoxidável: compostas por uma liga de ferro, cromo e níquel, quando aquecidas desprendem alguns elementos metálicos, mas em menos quantidade que as de alumínio.

· De ferro: pouco recomendáveis pela quantidade de metal inorgânico que liberam.

· De ágata e teflon: usadas sem o devido cuidado liberam resíduos tóxicos usados no revestimento. Quando descascadas, liberam resíduos de chumbo e estanho.

· De louça e vidro: são as mais recomendáveis.

· De plástico: evite as amarelas, alaranjadas e vermelhas, pois contém resíduos de chumbo e cádmio que podem se dissolver nos alimentos.

· De alumínio (inclusive o papel-alumínio) ou outros metais: evite, pois liberam material inorgânico.

· Sacos plásticos: use só os transparentes. Os coloridos liberam substâncias tóxicas em contato com os alimentos.

· Esponjas de aço: evite. Deixam resíduos tóxicos (alumínio) com o atrito.

Fonte: Livro Receitas Antioxidantes – Margarida Valenzi